Abordagem filosófica dos leilões e estratégias de desenvolvimento

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePin on PinterestShare on LinkedIn

Muitas das principais figuras históricas da filosofia passaram a sua vida a tentar encontrar respostas para questões sobre o que dá sentido à vida. Embora as respostas normalmente não tenham sido fáceis de interpretar, muitos dos utilizadores do wellbid.com parecem também estar a usar uma certa abordagem filosófica para licitar – eles olham para o propósito e o significado dos leilões, criando as suas próprias tácticas e estratégias, de modo a aumentar as suas possibilidades de ganhar.

Os racionalistas geralmente desenvolvem o seu ponto de vista de duas maneiras: primeiro eles argumentam que há casos em que o conteúdo dos nossos conceitos ou conhecimento supera a informação que a simples experiência sensorial pode proporcionar; em segundo lugar eles constroem relatos de como a razão, de uma maneira ou outra, dá-nos informações adicionais sobre o mundo. No wellbid.com eles implementam uma abordagem metódica em que os dados que foram obtidos através da observação ou análise estatística ou modelagem é usada para tomar decisões que normalmente são de longo prazo.

Os empiristas apresentam linhas complementares de pensamento. Primeiro eles desenvolvem conceitos de como a experiência fornece a informação que os racionalistas descrevem e se a experiência não demonstra os conceitos e conhecimentos dos racionalistas, eles optam pelo cepticismo como uma alternativa ao racionalismo. Em segundo lugar, os empiristas atacam o conceito dos racionalistas, de como a razão é uma fonte de conceitos ou conhecimento. Então, de acordo com esta sua crença , eles não lêem o FAQ ou a secção de Ajuda. Eles apostam num estilo de licitação do tipo tentativa e erro, acreditando firmemente que apenas a prática leva à perfeição.

Os ilusionistas acreditam que as pessoas têm ideias ilusórias sobre os acontecimentos. Muitos estudos têm mostrado que quando sugestões relacionadas com as competências, tais como a escolha, a concorrência, prática ou familiaridade, são introduzidos em situações casuais, as pessoas comportam-se como se o resultado tenha sido determinado pelas suas habilidades. Isto sustenta a ideia de que a ilusão traz benefícios tanto para os indivíduos como para a sociedade. Em termos prácticos, esses utilizadores comportam-se como se estivessem no controlo de situações que na realidade são determinadas pelo acaso (ou seja, situações nas quais eles não têm qualquer controlo real).

Os realistas apenas se deixam influênciar por aquilo que é conhecido ou compreendido. Uma existência ou natureza que funciona de maneira completamente independente daquilo em que as pessoas acreditam ou pensam. Os utilizadores que têm esta abordagem, pensam de maneira clara e acreditam que os seres humanos são pensadores, influênciados pelas suas experiências e o resultado do seu conhecimento. Quando eles licitam, utilizam tanto o seu conhecimento como também a experiência ganha, de modo a não cometer os mesmos erros.

Os idealistas são guiados pela sua devoção e ética pessoal. Eles são altruístas, tirando satisfação do bem-estar dos outros. Eles acreditam na bondade fundamental do mundo e das pessoas que nele existem. Eles vêem a vida como uma jornada em direcção a um conhecimento espiritual mais profundo. Acreditando que suas ideias são as melhores, eles seguem as suas decisões cegamente. Tal pensamento livre faz com que as suas decisões nos leilões raramente os leve a lugar algum.

Muitos de nós, mesmo sem o saber, ao licitar seguimos uma linha filosófica. Alguns utilizadores são puramente lógicos, outros utilizam o seu intestino, procuram uma ideia, utilizam o seu conhecimento e experiência,… Seja qual for a sua abordagem, o mais importante é o resultado.


Autor:

Partilhe Esta Publicação No

Enviar um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *